A vida é de quem?

A vida é de quem?

A muitos anos, quem sabe desde os primórdios, se preocupar com a vida alheia é pratica comum na sociedade, maquiada por senso comum, moral e bons costumes, amizade, curiosidade, dentre outras carapuças que se encaixam perfeitamente em qualquer contexto e distorcem completamente o verdadeiro motivo pelo qual isso ocorre, a verdade é que o homem sempre gostou de cuidar da vida alheia.

A sociedade atual tem por premissa o fato de que somos obrigados a ser aceitos pelo meio ao qual estamos inseridos e isso significa dizer que implicitamente deve-se dar mais valor ao que a sociedade pensa sobre nós e como ela nos vê, do que a maneira como nos vemos, o que pensamos sobre nós e onde desejamos chegar, claro que estou de certa maneira exagerando, todo escritor é aliado da dramaticidade que prende tanto o leitor, mas aqui entre nós, é realmente um exagero dizer que temos o valor subliminar de que a maneira como a sociedade nos vê é o que importa nos dias atuais ?

Nos dias atuais é comum nos preocuparmos exageradamente com a opinião alheia a nosso respeito, com isso acabamos por desenvolver uma pratica inconsciente de nos preocuparmos com a vida alheia, pois queremos saber como as pessoas nos veem, o que pensam a nosso respeito e com isso passamos a julgar as pessoas e suas diretrizes e acabamos por renegar àqueles que não seguem o “padrão”.

Todos nós temos uma maneira de viver e de ver as coisas, que julgamos ser o correto e quando nos deparamos com uma situação que alguém vive ou age de maneira diferente do que imaginamos ser correto, denominamos que isso seja um erro, mas qual o poder que temos sobre a vida alheia e qual o direito ?

Se uma pessoa faz qualquer coisa que julgamos errado, não significa que temos o direito de interferir e julgar esta pessoa, cada indivíduo tem o poder de decidir qual o caminho seguirá e isso cabe a cada indivíduo única e exclusivamente, temos visto a todo tempo pessoas julgando e se preocupando com a vida alheia, indiretas e até mesmo diretas através de redes sociais, palavras como “Hipocrisia” e “Falsidade”, viram moda e as pessoas as utilizam sem entender o real significado delas.

Vamos nos preocupar mais com nossas vidas e os caminhos que seguiremos, o caminho que as pessoas escolhem diz respeito apenas à elas mesmas, não temos direito de julgar, assim como não devemos ser julgados, deixemos cada qual no seu caminho, com suas escolhas e suas decisões, pois todos nós temos nossas batalhas.

A escolha é individual, assim como a responsabilidade sobre as consequências das escolhas também, logo, o que eu decido diz respeito a mim e isso deve ser respeitado, assim como devo respeitar a decisão do outro.

Aquele que perde tempo observando os erros e acertos dos outros, não possui tempo para acertar !!!

0 Replies to “A vida é de quem?”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *